Morto-Vivo: Barbosa

Começo minha nova fase na Placar. Dessa vez como frila. Como todos os meses, eu (que sou um ignorante na matéria) mergulho em pesquisas de nomes de jogadores que satisfaçam dos critérios: 1) que tenha tido alguma importância histórica e 2) que tenha morrido.

A coluna tem como nome "Mortos-Vivos". O homenageado desta vez é o goleiro Barbosa, que fez fama nas décadas de 40 e 50 no Vasco da Gama. E que ficou marcado por um desastre nacional: ele era o goleiro da seleção brasileira que perdeu a Copa de 1950 para o Uruguai. Como um personagem de tragédia, pouco importou o resto de sua vida em São Januário e todo o seu talento. Para o resto do Brasil ele foi considerado para sempre o "goleiro que entregou a Copa de 50".

É uma injustiça. A minha coluna da edição de julho de Placar vai tentar mostrar isso.

Comentários

jo fevereiro disse…
Fala, Dagô... andei sumido dos blogs dos amigos e tomei um susto quando li que você não estava mais na Abril... pensei comigo... será que ele finalmente vai para as Seychelles escrever e nunca mais dá as caras???
Legal que você continua no circuito!
Do lado de cá, resolvi aposentar meu site e parti também para o blog... dá uma olhada, que tem um trabalho "nosso" que talvez você nem se lembre. Brevemente vou postar outros.
Abração, cara... vê se não some!
Hernane Lélis disse…
Fala Dagomir,

Então você vai começar a fazer frila para a Placar...

Segue então uma sugestão de Pauta:

A tragédia de Superga. Acidente aéreo ocorrido em 4 de Maio de 1949. O Fiat G212 que levava a bordo toda a equipa do "Torino Calcio" chocou com a fachada da Basílica de Superga, perto de Turim.

Para honrar os 18 jogadores mortos na tragédia, entre eles o ídolo Valentino Mazzola.

O Torino liderava a competição.

Pode homenagear o Mazzola ou toda a equipe.

Espero que ajude!!!

Abraços
Paulinha disse…
Oi Dagomir!!! Eu só gostaria de saber a respeito da matéria que vc fez sobre Daniella Perez...onde posso vê-la? Obrigada.

Postagens mais visitadas