Europa de Trem 2010 - Capítulo 5


Oslo - Gotemburgo


Quem compra um Eurailpass e tem acima de 17 anos, é obrigado a levar um bilhete de primeira classe. Chato, não? Naquela tarde de 21 de dezembro conheci o carro mais aconchegante daquela viagem. Tinha mais espaço, era mais subdivido por divisórias de madeira e as macias poltronas estavam de frente umas para as outras. Você se sente "em casa". Primeira classe.


A paisagem lá fora era meio tediosa. Neve, neve, neve. Mas lá dentro eu tinha o netbook sobre a mesa e Joseph Haydn no MP3 player. Os países nórdicos têm esse espírito equalitário em tudo o que fazem. E o serviço de bordo era equalitariamente ruim para todos os passageiros. Ele se resumia a uma daquelas máquinas vendedoras automáticas de guloseimas que funcionam com moedas - as mesmas que a gente encontra em motéis baratos nos EUA. Um funcionário passou oferecendo 3 opções: café, café-com-leite e chocolate quente. Eu estou reclamado? De jeito nenhum! O trem da SNB era uma delícia. Até que parou no meio do caminho.


Pelos alto-falantes internos ficamos sabendo que a neve tinha se acumulado a um ponto além do nível de segurança. (A foto aí em cima confirma). Paramos na estação de Alden. Descemos todos em direção a dois ônibus que a SNB tinha colocado à disposição. Um iria até meu destino, Gotemburgo. A outra ia parar numa cidade de nome completamente incompreensível. Encontrei uma pequena multidão disputando com fúria um lugar no ônibus para Gotemburgo. Foi um momento Terceiro Mundo Nórdico. 


Não consegui entrar e de repente me vi na possibilidade de passar a noite numa cidadezinha no interior da Suécia sem reserva em hotel. Se é que havia hotel. Felizmente eles perceberam o erro e fizeram o segundo ônibus seguir também até meu destino. Foi uma parte muito interessante da viagem observar o ônibus entrando em cada cidade e cada vilarejo daquele trecho de um planeta desconhecido. Dormi num grande congestionamento. E acordei na estação central de Gotemburgo. Eu tinha 18 horas na cidade dos bondes. 


Fotos (c) Dagomir Marquezi 2010
O autor viajou a serviço do Guia Europa de Trem, da editora Abril. Apoio: Bergamo Turismo e Eurailpass

Comentários

Lidice-Bá disse…
Nossa, o fundo branco e verde arejou a área, refrescou o ambiente, clareou tudo! Amei! Bjs. e parabéns pela mudança!
Dagomir Marquezi disse…
Fui muito bem orientado.

Postagens mais visitadas