Radio Pirata: a verdade, pelo seu criador


Alguns dias atrás eu reproduzi neste blog a única matéria publicada sobre a Radio Pirata. No post, dou minha versão da história do programa que eu produzia com o Roberto Navarro para a antiga Excelsior FM (hoje CBN-São Paulo) nos anos 1980. O Navarro leu e resolveu me lembrar de fatos que minha (falta de) memória deletou parcialmente durante esses anos todos. É uma honra para mim publicar o texto deste grande amigo.


Dizer que até 1981 era virtualmente proibido tocar rock no rádio não é bem a verdade. Desde sua fundação, em 1977, a Bandeirantes FM tocava rock o dia inteiro - sei disso pois fui um dos programadores. Nessa época também produzi o programa diário Performance Pop, totalmente dedicado ao rock. 

A Rádio Pirata surgiu em 1980 na Bandeirantes, onde eu fazia o programa sozinho, com locução do Otávio Ceschi. Essa primeira encarnação da RP acabou em dezembro daquele ano, tirada do ar pelo Johnny Saad, indignado com uma edição que fiz, gozando o John Lennon, que tinha sido assassinado uns dias antes.

Em janeiro de 1981, o Boninho me convidou a levar a RP para a Excelsior, e então chamei o Dagomir. Numa conversa posterior, Boninho admitiu pra mim ter reaproveitado a ideia pra fazer a TV Pirata. A segunda versão da Rádio Pirata acabou quando Gualberto Curado substituiu Maurício Kubrusly na direção artística da Excelsior. Mais tarde, Curado me disse que "detestava a Rádio Pirata, por achar o programa muito barulhento, incompreensível, e de uma ironia inaceitável".

Roberto Navarro

Comentários

Há quanto tempo eu não tinha notícia do Navarro. Acho que foi desde a época do Esquadrilha da Fumaça...
Estou disponível para novas Jams, é só avisar, Dagomir!
Abs
Alessandro

Postagens mais visitadas