As delícias da endoscopia


Há 10 anos, depois de uma azia mais feia que o aceitável, visitei um gastro pela primeira vez. "Você vai ter que fazer uma endoscopia", anunciou o doutor. Não gostei nada daquilo. Fiz, receoso. Descobri que tinha refluxo do ácido gástrico. Precisaria tomar um remédio todos os dias. E teria que fazer uma endoscopia por ano.

Hoje, estou viciado nisso. O dia da endoscopia se torna motivo de prazer, apesar da apreensão que acontece entre qualquer exame e seu resultado. Mas o procedimento em si virou uma curtição anual. Tenho que fazer um jejum de apenas 12 horas. Aí vou (sempre acompanhado) ao laboratório.

Na sala, uma enfermeira passa um spray na minha garganta e me pede para deitar. Nem tiro o sapato. Troco algumas palavras com os técnicos. A enfermeira então aplica uma dose de Dormonid na veia e me pede para ficar de lado. Sinto uma espécie de prazeroso formigamento tomando o cérebro. Quando me viro, já apaguei.

O que se segue é muito confuso, daí a necessidade de um acompanhante. Eu nunca me lembro dos momentos em que chego ao carro e sou levado para casa. Ainda nesse estado nebuloso, peço para almoçar. Acabei de ter o organismo invadido por uma câmera presa a um tubo até o fundo do estômago. Mas não sinto absolutamente nenhum sinal disso. Na verdade saio do exame morrendo de fome por causa do jejum.

Passo o resto do dia em casa, relaxado, caindo no sono profundo de vez em quando. É um dia de folga forçada. Uma delícia. 

No dia seguinte, mais esperto, eu me lembro de agradecer (mentalmente) às pessoas e instituições que desenvolveram esse exame tão invasivo sem causar qualquer dor ou desconforto. É um exame definitivo, que recolhe material para biópsia e faz pequenas intervenções, como eliminar pólipos. Detecta tumores em estágios muito iniciais.

Sou grato por viver numa época em que a medicina se torna cada vez mais eficiente e ao mesmo tempo mais humana. Se você já passou dos 50 (ou se tem problemas gástricos em qualquer idade), meu humilde conselho: fale com seu médico sobre uma endoscopia. Além de tudo, dá barato. 

Comentários

Alzir Fraga disse…
Tome cuidado para não viciar. O efeito da anestesia deve ser igual à de drogas como a morfina. Realmente, é muito bom.

Postagens mais visitadas