Rene Decol *1958 +2015


Conheci o Rene Decol no início dos anos 1980, na sala de exames médicos de O Estado de São Paulo. A gente estava  entrando no jornal para fundar o Caderno 2. O Rene não tinha "cara de jornalista". Era um sujeito sofisticado, amante do jazz, com um inconfundível ar blasé. Ficamos muito amigos. Na redação, ele era famoso por pegar a cadernetinha de telefones e ligar para as garotas tentando marcar um encontro. Começando pela letra A. "Anita? Oi, tudo bem? Você vai fazer alguma coisa hoje?" Se a Anita não pudesse ele seguia em frente, em ordem alfabética. "Bia? Oi, tudo bem?..." Uma noite nos reunimos com outros membros da redação para tocar num bar perto do Estado. Rene era o saxofonista e eu,o baterista.


Acabada a aventura do Estadão, continuamos nos encontrando. Em 1990 o Rene mostrou toda sua generosidade ao me convidar a passar 15 dias no seu apartamento em Manhattan. Foi minha primeira viagem a New York. (A foto lá de cima eu tirei no seu apartamento da 86 East Street). Depois viramos vizinhos em São Paulo. Os encontros se tornaram mais raros. Recentemente fizemos um trabalho juntos para um documentário sobre café. Qualquer oportunidade era boa para colocar nossas vidas em dia.

No dia 16 de setembro, há míseros 2 meses e 10 dias, nos encontramos num restaurante do bairro de Pinheiros. O Rene estava com com sua cara de galã, agora com um cavanhaque. Foi um excelente almoço. Falamos de nossos rumos profissionais, de amigos e de mulheres. Conversamos sobre o curso de música clássica que ele estava dando. Falamos sobre nossas paixões musicais, Frank Zappa e Joseph Haydn. Sua única preocupação era uma persistente inflamação na próstata. Passei o telefone do meu urologista. Nos despedimos marcando um novo almoço lá mesmo no Barão Natural, o mais breve possível.

Mas o Rene se foi, e com ele um pouco da luz deste mundo.

Comentários

Unknown disse…
Nossa que triste!
Falava com rene muito esporadicamente por morar na Australia.Feliz que o encontrei em SP em 2014 para um cafe nos jardins.Fique em paz Rene!
Muito triste com a notícia da perda do amigo René. Obrigado Dagomir Marquezi por compartilhar esse belo e sensível texto-despedida. O René merece.
celine ex paris disse…
merci beaucoup Dagomir de partager avec nous tes moments avec René et de lui rendre hommage. J'ai aussi en mémoire un très bon moment avec René sur la passerelle de la bibliothèque François Mitterrand.
bon voyage René, mes pensées t'accompagnent.

Postagens mais visitadas