Mi primo Diego Ruiz Rocca y la jeringa para crear monstruos


Meu primo Diego Ruiz Rocca era na verdade sobrinho da minha avó Consuelo. O Dieguito era espanhol, e tinha essa pinta de galã nos anos 1960. Sempre elegante, sempre bem vestido.

Além disso, tinha uma generosa paciência comigo. O Diego era desenhista/ilustrador, o que eu sempre quis. Então quando ele aparecia eu pegava minha caixa de lápis de cor e todos os papéis de embrulhar pão que pudesse juntar. Aí eu começava:"Faz um avião? Agora faz esse avião bombardeando um castelo? Agora faz um dragão cuspindo fogo no avião?"

Mas meu pedido mais constante era uma história de monstro. Era sempre a mesma: o Diego desenhava um homem normal levando uma injeção. Um dos braços crescia e ficava peludo, surgia uma segunda cabeça com três olhos, e assim por diante. Eu ficava fascinado, olhando para os desenhos que surgiam no papel de pão graças à magica do primo Dieguito. Ainda por cima era tudo narrado em espanhol. o que só aumentava a grandiosidade do espetáculo.

Nunca mais tive notícias do Diego. Se tivesse uma chance de falar com ele, diria: você foi a primeira pessoa a me tratar de igual para igual, a respeitar minhas opiniões mesmo que eu tivesse uns 7 anos de idade. Obrigado por isso. E por tantas injeções criadoras de monstros.

Comentários

Diva Marquezi disse…
Que delícia de lembrança, Dago! Saudade do Dieguito!
Mabel Sosigan disse…
Olá, já conseguiu notícias dele? Sou sobrinha do Diego...

Postagens mais visitadas