A garagem do Joe


Frank Zappa mudou minha vida com Joe's Garage. Parece exagero, mas muito do que eu escrevi a partir dessa "opera rock" ficou impregnado com sua estética e visão de mundo. Influenciou muito inclusive o meu folhetim O Caso da Escada Para o Paraíso, que vai ser lançado em breve como livro digital. Na época havia um jornal especializado em música chamado Canja que topou publicar uma versão resumida do libreto. Roberto Navarro, Lu Gomes e eu trabalhamos duro para traduzir a odisseia do guitarrista Joe numa sociedade imaginária onde a música era proibida.

Ficamos indignados na época pela tradução ter sido "censurada" pela direção do jornal. Claro que hoje eu compreendo os editores de Canja. Era 1979 ou 1980. E "chupar" teve que ser substituída naturalmente por "sugar", entre outras coisas. Perdi essa Canja, mas o mega colecionador João Antonio (a quem agradeço) guardou. Aqui vão as páginas preservadas da tradução de Joe's Garage. (Clique para ampliar as imagens).




PS - há alguns anos atrás a Central Scrutinizer (a sensacional banda cover brasileira do Zappa) começou a produzir uma versão ao vivo de Joe's Garage. Infelizmente ainda não aconteceu. Mas se acontecer, estou dentro!



Comentários

Magnifico isso. Fui comprador e apoiador da Canja. Uma época fui até lá (acho que era perto da Paulista) e peguei uns exemplares para vender para eles nas portas dos teatros. Uma das tantas tentativas inglórias de jornalismo musical brasileiro. Tinha até os anos 90 os exemplares dela que sairam, mas casamentos e casas desfeitas fizeram com desaparecessem. Estou guardando essas páginas com carinho. Abraço. Aliás, Dagomir, tinha uma outra revista que minha memória associa a você, mas não tenho certeza: A Singular e Plural... Minha memória está correta?
Dagomir Marquezi disse…
Luiz Carlos:

Muito obrigado pelo seu comentário! Eu me lembro muito pouco dos detalhes, então qualquer ajuda é bem vinda.

Quanto à Singular & Plural, o problema é o mesmo: não me lembro. Mas posso ter escrito um artigo.

Abraço!

Dagomir
Dagomir... Ixi, estão mal... rsrs. A memória é um problema Quando no começo do ano escrevi minha biografia, foi com o intuito de ainda deixar escrito o que eu AINDA lembro... Chamei a ela de Um Manual de Consulta Sobre Mim Mesmo... Para situações futuras...Com relação a Singular & Plural, estou bem certo que tinha algo seu lá, aliás toda vez que é mencionado seu nome eu lembro dela. Abraço.
Dagomir Marquezi disse…
Eu estou fazendo o mesmo Luiz Carlos: anotando o que eu posso antes que tudo se perca...

Se você achar alguma Singular e Plural comigo me avisa por favor!

Abraço

Dagomir
Anônimo disse…
Luiz Carlos e
Dagomir
A revista Singular & Plural era mensal, uma revista editada por Marcos Faerman. Tenho apenas dois números mas não lembro de ter visto nada de Dagomir. Acho que a revista que ele se refere é Pipoca Moderna, também parecida com Canja. ab

joão antonio
João Antônio. Isso mesmo, editada pelo Faerman. Lembro bem que comprei alguns numeros, mas me lembro quantos sairam. A Pipoca Moderna eu não conheci. Pode ser que minha memória esteja me traindo, mas ao que me lembro, tinha algo do Dagomir, sim. Durante todos esses anos, sempre, por esse motivo, associo o nome do Dagomir a essa revista. Mas como falei, pode ser a memoria falha! Não encontrei nenhuma referencia a essa revista na Internet.

Postagens mais visitadas